Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Oceano de livros

Como no mar, nos livros eu mergulho. me perco e me encontro, sinto-me em paz e acima de tudo sou mais autenticamente eu própria. In ocean or book, I dive in, I lose myself and find myself, but above all, it's when I more my real me.

Oceano de livros

Como no mar, nos livros eu mergulho. me perco e me encontro, sinto-me em paz e acima de tudo sou mais autenticamente eu própria. In ocean or book, I dive in, I lose myself and find myself, but above all, it's when I more my real me.

18
Out19

Desafio dos pássaros #6 - “O Amor, uma cabana… e um frigorífico” - Oceanodelivros.blogs.sapo.pt


Inês Norton

Constança assustou-se quando sentiu que Júlio a quem amava perdidamente, chorava copiosamente, ainda que em silêncio. Ergueu-se da cama, obrigou-o a olhar para ela e perguntou-lhe:

- “Que se passa Júlio? Diz-me.”

Com dificuldade em controlar as lágrimas ele olhou-a, e respondeu com a honestidade que pautava o namoro de ambos:

- “Constança, eu amo-te tanto que sinto que vou morrer de dor porque sei que a nossa relação não tem futuro, como sabes eu sou sozinho na vida, após o 9º ano tive que trabalhar, consegui em vários trabalhos comprar esta cabana que nem casa de banho interior tem, não tem água corrente ou quente, mal tem electricidade para manter o frigorífico a funcionar, e está tão longe do teu mundo de princesa de Cascais habituada a casa com piscina e lareira, carro aos 18 anos, computador, Internet, perfumes e roupas caras, telemóveis, que por mais medo que sinta em te perder, não mereces esta vida de miséria, pois embora eu seja trabalhador, tornando-te minha mulher estou a sacrificar tudo o que conheces e mereces receber da vida, e nunca conseguirei por mais trabalho que tenha dar-te sequer uma sombra do teu mundo. Por isso sei que mais tarde ou mais cedo vou te perder e não o consigo suportar...”

Constança abraçou e deixou-o acalmar-se, então pegou na sua cara, beijou as suas lágrimas e disse:

-” Julio eu também te amo mais que a minha própria vida, e sei que pertencemos a mundos diferentes, apenas porque tiveste menos oportunidades na vida, mas a minha vida era vazia, ainda que cheia desses luxos que falaste, e eu não era feliz antes de te conhecer, já me convidaram a ficar a trabalhar neste escritório de advogados assim que acabe o estágio, assim em breve também eu vou trabalhar e sei que mesmo com dificuldades aos poucos podemos tornar a casa mais confortável, mas eu sei que só necessito de ti para ser feliz. Prometo não me queixar da nossa vida e nunca desistir deste nosso amor, não desistas tu de nós.”

 

Anos depois, Constança cumpriu a sua promessa a Julio, a cabana hoje é uma confortável moradia, mas mais importante que isso é o amor e união que se vê nesta família, cuja história se iniciou com um salvamento e amor e uma cabana com frigorífico…

 

Inês d’Eça

9 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo