Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Oceano de livros

Como no mar, nos livros eu mergulho. me perco e me encontro, sinto-me em paz e acima de tudo sou mais autenticamente eu própria. In ocean or book, I dive in, I lose myself and find myself, but above all, it's when I more my real me.

Oceano de livros

Como no mar, nos livros eu mergulho. me perco e me encontro, sinto-me em paz e acima de tudo sou mais autenticamente eu própria. In ocean or book, I dive in, I lose myself and find myself, but above all, it's when I more my real me.

15
Nov19

desafiodospássaros-tema#10- "Já Chegámos, já Chegámos"


Inês Norton

Quem via aquele casal sexagenário não podia imaginar que eram um casal desfeito há mais de 20 anos a quem na velhice havia sido dada a oportunidade de reviverem o amor que os unira e que na verdade nunca morrera. Ambos refizeram nesses anos a vida com outras pessoas, um era agora divorciado com filhos o outro viúvo. Por coincidência ambos tinham ido àquele jardim tão importante na sua juventude para recordarem esse amor e no momento seguinte olhavam-se nos olhos e o coração falou por eles. Estiveram horas e horas a dividir culpas, a reconhecer erros e a validar aquela sensação de que algo inquebrável os unira durante as suas vidas paralelas.

 

A dada altura ele diz:

 

-” Sabes o que eu sinto agora? “ - perante a muda interrogação dela ele continuou. - “Sinto que nestes anos todos estive a fazer uma viagem interminável e que todo esse tempo eu só queria chegar a casa, e tu, meu amor és a casa que eu sempre procurei, um dia tive e deixei fugir. Tu és a minha casa, ajuda-me ou deixa-me chegar a casa, eu fui demasiado cego para perceber que o meu lar sempre foste tu.”

 

Emocionada ela respondeu-lhe:

-” E tu sempre foste o meu, sim tens razão foi uma viagem longa,tortuosa, com lindas paisagens e aventuras, mas também com momentos de medo e solidão, mas agora e pelo tempo que tivermos ainda estamos juntos. Não percebeste que na ânsia de chegar a casa, já chegámos, meu amor, já chegámos.”

 

Inês d’Eça

 

09
Nov19

Shadowfell by Juliet Marillier


Inês Norton

Sinopsis:

In the land of Alban, where tyrannical ruling de Keldec reduced the world to ashes and terror, hope has a name only the brave dare to whisper: Shadowfell. The legend says there is the sanctuary of a rebel force that will fight to free the people from shadow and oppression.

 

And it’s there that Neryn is heading, a young girl of 16 years old, who holds a dangerous Illuminated Gift: the power of communicating with the Good Folks and creatures from the deep Other World. Will Neryn be forced to do this dangerous trip alone? Or should she trust in the help of a mysterious stranger whose true agenda is unclear?

 

Chased by an Empire set to crush her and unaware whom to trust, Neryn will find out that her journey is also a test and she may hold in her hands the key to rescue the kingdom of Alban.

 

Editon: Planeta Autor:Juliet Marillier Ano da 1ª Edicção:2012

 

My Review:

 

I choose this book for the 1st category of #bookbingoleiturasaosol2019, where the title had to have the letters for the word S-O-L (sun in Portuguese), and being Juliet Marillier my favorite Writer it was long overdue a rereading for I remembered nothing since my 1st read in 2012.

The story follows the young Neryn fleeing for her life trusting no-one and making due.

 

In this fight she will discover herself as a beam of hope for the future dreamed of her land, in between she’ll forge unlikely friendships in a landmarked by mistrust and suspicion, discovering that even the most destitute being is always able to give something of himself with love and humbleness, whether is a song, a kind word, or a goodwill gesture. And this was one of my favorite things in this book.

 

I don’t want to give away any spoiler but I recommend this book and gave it fat ones even if I don’t count this trilogy as one of my favorites, but there hasn’t been any book of Juliet’s that I simply don’t like.

 

To finish let’s talk about the cover. Planet Editora is doing a wonderful job with the Portuguese editions, with so much care and attention to the covers and this is no exception. Neryn stands alone near a lake or a creek surrounded by the forest green, facing forward where the light shines in front of her. I just love the green shade the cape blue and the air of tranquility in a world we already know it’s in chaos.



09
Nov19

Shadowfell por Juliet Marillier


Inês Norton

Sinopse da Contra-capa: 

Na terra de Alban, onde o jugo tiranico de Keldec reduziu o mundo a cinzas e terror, a esperança tem um nome que só os mais corajosos se atrevem a murmurar: Shadowfell. Diz a lenda que aí se refugia uma força rebelde que lutará para libertar o povo das trevas e da opressão. 

E é para lá que se dirige Neryn, uma jovem de 16 anos que detém um perigoso Dom Iluminado: o poder de comunicar com os boa gente e com creaturas que vivem nas profundezas do Outro Mundo. Será Neryn forçada a fazer essa perigosa viagem sozinha? Ou deverá antes confiar na ajuda de um misterioso desconhecido cujos verdadeiros designos permanecem por esclarecer? 

Perseguida por um império decedido a esmagá-la e sem saber em quem confiar Neryn acabará por descobrir que a sua viagem é um teste e que a chave para a salvação do Reino de Alban pode estar nas suas próprias mãos.

 

Editora: Planeta     Autora: Juliet Marillier     Ano da 1ª Edicção: 2012

Minha Critica:

Eu escolhi este livro para a 1ª categoria do #bookbingoleiturasaosol2019, em que o título tinha de possuir as letras S-O-L, e sendo um livro da minha escritora preferida e que eu tencionava reler por ter lido no ano da pulicação e já não me recordar de nada.

A história acompanha a jovem Neryn que vive em fuga pela sua vida sobrevivendo como pode sem confiar em ninguém.

Nesta luta pela sobrevivência ela vai-se descobrindo como uma luz de esperança para lutar pelo futuro sonhado para a terra.

No meio de tudo faz amizades improváveis numa terra em que a desconfiança impede a formação de laços naturais na família e comunidade e aprende que mesmo o mais miserável ser que nada tem sempre consegue dar algo de si, uma canção, um carinho, uma palavra, tudo serve quando é dado com amor e humildade. E isto foi uma das coisas que mais gostei neste livro.

Não quero falar muito mais para não dar spoylers mas recomendo a leitura e dei   bem gordas apesar de não ser a minha trilogia preferida da Juliet.

Ainda quero falar da capa. A Editora Planeta tem tido um cuidado maravilhoso com as capas dos livros da Juliet e este não é exepção. Neryn sozinha à beira de um lago rodeada de verde da floresta, de costas olhando para uma luz ao fundo e o que eu mais gosto nesta capa é o tom de verde, o azul da capa de Neryn e o lago tranquilo num mundo que sabemos quer pela leitura do livro quer pela sua sinopse, estar em caos.

 

08
Nov19

desafio dos pássaros #9-“Naked wake up ” - Oceanodelivros.blogs.sapo.pt


Inês Norton

Sentia o calor do sol a aquecer a pele e sorri ao sentir aquele calor bom do verão na pele, ao virar-me meio acordada senti areia a entrar pela minha boca adentro e juntamente com o estranhar de temperaturas de Verão em pleno Novembro despertou-me completamente, e para minha surpresa vi-me como vim ao mundo e fiquei em pânico.

 

Eu não fazia ideia como tinha aparecido na praia nem onde seria aquela praia. Mergulhei na água do mar para tirar a areia de orifícios que eu desconhecia ter e ao sair da água vi um baú um pouco mais à esquerda de onde acordara e sem conseguir compreender a estranheza de tudo aquilo dirigi-me ao baú e abri-o, foi difícil, aleijei-me e a dor garantiu-me que aquilo não era um sonho.

 

Para meu espanto encontrei o que se pode chamar um “kit salva-vidas” com um fato de banho (ao menos a ser resgatada não me veriam em pêlo), fósforos, rede de pesca, uma machadinha, uma mochila e uma rede de dormir, garrafas de água e instruções de como montar um abrigo e sobreviver numa ilha deserta.

 

Passei o resto desse dia a montar um acampamento minimamente seguro, a pescar e a defumar parte do peixe que pescara, e a comer o resto da pescaria, no dia seguinte montei uma fogueira gigante para acender se passasse algum barco ou avião de modo a ser resgatada.

 

Ao terceiro dia acondicionei o peixe defumado numas folhas de palmeira meti 4 das garrafas de água na mochila e algumas bananas duma bananeira que havia junto ao meu acampamento e segui a linha da costa tentando simultaneamente ver se encontrava alguma população e media o tamanho da ilha (se é que era uma ilha).

 

O tempo que me levou a percorrer a linha costal deu para ver que era uma ilhota pequena sem nada à volta além dum vasto oceano. O resto da tarde desse dia deu para explorar metade do interior da ilha onde encontrei uma cachoeira e um pequeno lago de água doce.

 

Só Deus sabia quanto tempo eu sobreviveria ali, mas um dia acordei no meu quarto com a marca da ferida do baú e sem entender o mistério vivido.

 

 

 

Inês d’Eça

 

01
Nov19

Desafio dos pássaros #8-“Escreve uma carta para a criança que foste ”


Inês Norton

Sou a do meio com franja esta foto foi da primária no Colégio Feminino Françês em Lisboa ,algures nos anos 80

Sou a do meio com franja esta foto foi da primária no Colégio Feminino Françês em Lisboa ,algures nos anos 80

 

Minha querida,

 

Há tanto tanto que te quero dizer que nem em 400 páginas caberia, quanto mais 400 palavras,por isso vou tentar resumir ao máximo aquilo que é fundamental que saibas desde já.

 

1º) Tu és muito mais inteligente do que te dás crédito, por isso pára já de te achares menos que os outros, e ainda que não fiques agarrada ao sucesso académico, aproveita o gosto pela leitura e não dependas de gostar ou não do professor para conseguires bom aproveitamento, cria o teu sucesso investiga a matéria que não compreendas para seres capaz de fazer tudo o que quizeres, tu provaste isso na faculdade, por isso tu és capaz provaste-o a ti mesma, mas para que não seja tudo tão esforçado começa agora a provar-te que és capaz.

 

2º ) Mantém esse coração generoso e empático porque é das maiores qualidades que tens mantido nesta tua vida. Não acredites cegamente nas palavras mas vê os sentimentos das pessoas pelas acções, protege esse teu coração de lágrimas amargas que já chorámos, mas não te percas nem te envenenes.

 

3º) Nem tudo o que parece é, e por muito duro que seja esta verdade, aprende desde já que a tua força, o teu pilar, a única pessoa com quem podes contar és tu mesma, porque assim evitas tantas desilusões e rasteiras pregadas pela vida, e não estranhes às vezes quem mais amamos são quem mais nos desilude.

 

Por isso não te esqueças tu és um ser humano muito especial, és forte, guerreira, compassiva, inteligente, culta e sociável, não te menosprezes e quando a vida te abalar lmbra-te do que te levou 42 anos a descobrir. E mais importante, ama-te ama-te muito sempre.

 

Beijos, do teu eu maduro,

 

Inês d’Eça

 

25
Out19

Desafio dos pássaros #7-A Máscara Capilar e a Compota de Abóbora com amendoa - Oceanodelivros.blogs.sapo.pt


Inês Norton

Raios partam o meu patrão

Que é ganancioso e aldrabão

Só quer saber é do pilim,

E meu Deus, coitada de mim

Se não obedeço-o

Vou para a rua

Mas que fazer, se preciso de viver

Tenho de alinhar na falcatrua

A última das quais então é demais

Quer que eu convença esta bela moça

De seu nome Constança

Farta cabeleira sem esperança

Quer um tratamento capilar

E eu só lhe posso dar

Compota de abóbora com amêndoa

E assim a enganar

Parte-se me o coração

Mas os meus filhos precisam de pão

 

Acredite linda moça,

este é um segredo antigo e bem guardado, precioso!

Ponha esta máscara de compota

Que o cabelo deixará de estar oleoso!

A abóbora amacia e hidrata,

A Amêndoa repara e fortalece.

São 10 € paga em MB ou numerário?

 

Inês d’Eça

18
Out19

Desafio dos pássaros #6 - “O Amor, uma cabana… e um frigorífico” - Oceanodelivros.blogs.sapo.pt


Inês Norton

Constança assustou-se quando sentiu que Júlio a quem amava perdidamente, chorava copiosamente, ainda que em silêncio. Ergueu-se da cama, obrigou-o a olhar para ela e perguntou-lhe:

- “Que se passa Júlio? Diz-me.”

Com dificuldade em controlar as lágrimas ele olhou-a, e respondeu com a honestidade que pautava o namoro de ambos:

- “Constança, eu amo-te tanto que sinto que vou morrer de dor porque sei que a nossa relação não tem futuro, como sabes eu sou sozinho na vida, após o 9º ano tive que trabalhar, consegui em vários trabalhos comprar esta cabana que nem casa de banho interior tem, não tem água corrente ou quente, mal tem electricidade para manter o frigorífico a funcionar, e está tão longe do teu mundo de princesa de Cascais habituada a casa com piscina e lareira, carro aos 18 anos, computador, Internet, perfumes e roupas caras, telemóveis, que por mais medo que sinta em te perder, não mereces esta vida de miséria, pois embora eu seja trabalhador, tornando-te minha mulher estou a sacrificar tudo o que conheces e mereces receber da vida, e nunca conseguirei por mais trabalho que tenha dar-te sequer uma sombra do teu mundo. Por isso sei que mais tarde ou mais cedo vou te perder e não o consigo suportar...”

Constança abraçou e deixou-o acalmar-se, então pegou na sua cara, beijou as suas lágrimas e disse:

-” Julio eu também te amo mais que a minha própria vida, e sei que pertencemos a mundos diferentes, apenas porque tiveste menos oportunidades na vida, mas a minha vida era vazia, ainda que cheia desses luxos que falaste, e eu não era feliz antes de te conhecer, já me convidaram a ficar a trabalhar neste escritório de advogados assim que acabe o estágio, assim em breve também eu vou trabalhar e sei que mesmo com dificuldades aos poucos podemos tornar a casa mais confortável, mas eu sei que só necessito de ti para ser feliz. Prometo não me queixar da nossa vida e nunca desistir deste nosso amor, não desistas tu de nós.”

 

Anos depois, Constança cumpriu a sua promessa a Julio, a cabana hoje é uma confortável moradia, mas mais importante que isso é o amor e união que se vê nesta família, cuja história se iniciou com um salvamento e amor e uma cabana com frigorífico…

 

Inês d’Eça

11
Out19

Desafio dos pássaros – Tema#5 - Estás na fila para o purgatório e Hitler está à tua frente. Ninguém o quer aceitar e a fila não anda. Escreve a tua intervenção para convencer um dos lados a aceitá-lo - Oceanodelivros.blogs.sapo.ptDesafio dos


Inês Norton

Já farta de ver aquela discussão entre céu e inferno, não me contive e resolvi a solução que pensara enquanto os via a discutir à minha frente:

- “Desculpem interromper, mas acho que posso ajudar. Posso dar a minha sugestão?” perante a indicação positiva eu prossegui:

- “Jesus ensinou o perdão 70x7, mas como é sabido, o Hitler foi responsável directa e indirectamente pela morte de milhões, logo não seria justo um perdão imediato, então existe este lugar entre o inferno e o purgatório, o umbral onde Hitler pode ser obsediado pelas suas vitimas durante 70x7 mil anos, após o que lhe é dada a hipotese de reencarnar e nessa reencarnação limpar o karma destes crimes. Se ele o fizer pode lhe ser permitida a entrada no céu, contudo se voltar a cometer outro crime contra qualquer seu irmão, então será directamente nviado para o Inferno. Deste modo pratica- se a justiça divina, a fila segue para as suas evoluções, regressões ou castigos, e quer o céu quer o inferno ficam com uns milénios livres do problema de Hitler.

Céu e inferno aprovaram a sugestão, a fila seguiu e eu segui o meu destino.

 

Inês d’Eça

04
Out19

Tema#4 - A Beatriz disse que não. E agora?


Inês Norton

received_10203970803104764 (1).jpeg

Tema#4 - A Beatriz disse que não. E agora?

Estava tudo preparado ao mais ínfimo promenor, para fazer a surpresa da vida da Beatriz, dando-lhe o casamento de sonho num momento em que não o esperava, os cúmplices tinham sido muitos, do noivo aos pais e sogros, ao nosso grupo de amigos sem esquecer o patrão dela que havia garantido a dispensa dela durante o período de dois dias antes da data do casamento e o tempo da lua de mel, e a coisa tinha sido tão bem organizada que na quinta-feira antes do dia D, a Beatriz nem sonhava o que lhe estavam a preparar.

 

Naquele momento, só faltava a Bé convencer a Bia a vir passar o fim-de-semana com ela e a amiga delas a Joana, com a desculpa que esta última estava a precisar das amigas para recuperar do fim do noivado desta, às vésperas do casamento. Todas esperávamos no carro quando a Bé, com um ar de desespero acercou-se do carro e disse:

 

-”A Beatriz disse que não. E agora?

 

A Litta que não era de modas ligou logo para a mãe da Bia na esperança que esta nos desse uma ajuda. Meia hora mais tarde a mãe da Beatriz, chegou ao carro e levando a mala de viagem da Bia trancou-se com ela e o chefe da filha e não sei o que foi dito só sei que que nem uma criança mal comportada, a mãe da Bia trouxe-a até ao carro e entregou-nos a filha e foi assim que a noiva foi raptada para o seu prórpio casamento.

 

Depois de uma despedida de solteira épica e de um casamento fantástico a Beatriz fez um discurso agradecendo a todos os cúmplices o rapto mais feliz que alguém podia imaginar lhe acontecer, e chorou emocionada pois não sabia ser tão afortunada por ter tão bons amigos e familiares que lhe deram aquele momento mágico. E nós emocionados de a vermos tão feliz também chorámos.

 

Inês d’Eça

 

28
Set19

Tema#3 – Um momento marcante uma aventura


Inês Norton

pupilas-dilatadas-voce-sabe-o-que-elas-podem-signi

Como é? - pergunto-me ela com seu ar curioso e doce

Como é o quê, princesa? -devolvi, não percebendo

Onde voava a sua infantil imaginação.

Como é que se sente quando vivemos uma aventura,

Ou sabemos que estamos a sentir um momento especial

Calei uns instantes e depois pus-me a contar

É como a onda que beija a areia, é a bolha que sobe na bebida

A bola de sabão que é embalada no vento

É o coração que te martela o peito

É o sorriso que te enche a cara

É o brilho mágico no olhar

É a lua é o céu é o marcante

É seres pequena e sentireste gigante

É dormir e só ter sonhos bons

É um carinho, um abraço um beijo

É sentires as emoções

Vibrarem em ti e aflorarem a pele

E acreditas que o mundo é bom e que

Todos podem ser felizes

É teres um calor que te anima

É tudo isto ao mesmo tempo

E melhor que tudo Amor,

É grátis, vem de dentro de ti

E podes gozá-lo sem fazer mal a ninguém

E vou te contar um segredo:

Sabes quando eu vivo momentos e aventuras assim?

Sempre que estou junto a ti.

 

Inês d’Eca

28
Set19

Reading Challenge Winter - #A long Winter by the fire


Inês Norton

Good Afternoon,

Let me start today by saying that this summer challenge by Isaura Pereira#jardimdemilhistorias  and Patrícia Rodrigues#oprazerdascoisas changed my life, for not only by making new friendships, this blog came to be, I was invited to a writing challenge by  desafiodestapássara, I was only 4 books from finishing the book bingo card,as well I’ve read in this 3 months over 21 books, soo I’m proud of me, I also found a new writer whose books I’m loving.

 

With this I mean to say that I loved the book bingo challenge, very, very, very much. In fact so much that I decided to create a challenge of my own, and I can’t thank those two girls.

 

I did not wish to “steal” their challange, so I got to think in the long winters we used to have when the seasons were diverse and thought of a challenge to last 2019/2020 winters.

 

The rules are 1 category= 1 book; begins at 0:00 11/11 and finishes at 23:59 of March 20 (between my dad’s birthday and the very last winter’s day)I tried to choose easy categories so any book of your shelves can be chosen for this challenge.

I divided the categories in the months and anyone is a winner if it reads as much or as little as their heart desires, and you don’t need to follow the numbers or moths order, you can start with a book from March, the another from November the February then one from January and finish with a book from December. You do as you like. You read and have fun.

 

Any doubt just you ask, here in the comments or my facebook page. So:

 

November:

#1 – An extra-fast reading book( one that can take you from a few hours to 24h reading time)

#2 – A book with one of these 5 months in the title, or at least happens in one of the months.

#3 – A book with RAIN in the title or at least, the words of the title form the word R-A-I-N (I kept thinking here in Guns’Roses song November Rain)

#4 -A book from an author you always wished to read but by some reason you kept postponing ( to me it’s Saramago and Stephen King)

#5 -A Classic that you are missing out, but If you read them all choose your favorite classic for a reread.

 

December:

#6 – A book happening in Christmas or New Year’s Eve

#7 – A book with snow (cover or title)

#8 – A alternate version of your favorite children’s tale (I can help with some ideas)

#9 – A book with your favorite hot drink in the title(coffee, ta, cappuccino, hot chocolate, etc...)

#10 – A book About Giving, Faith, Love (the non-commercial meaning of Christmas)

 

January (  ) :

#11 -A book of chances or starting over again(New year, new life)

#12 -A book about books

#13 - A Thriller, or a Historic Romance, or comedy or nonfiction book

#14 – A Book about a pet or other animal

#15 -A book with +700 pages

 

February :

#16 – A Book with the cape in one of this following shades: Blue, Green, Red or Orange, if you rather then a book with any color in the title

#17 – A book happening in your hometown or with that name in the title

#18 -A BD, Graphic Novel or a Manga

#19 -A book happening during Madi-Grass or at least in one of the major cities of this Holliday (Brasil, Venezia or New Orleans)

#20 – A book that won an award in 2019 or highly recommended that year (if none of your books fills these criteria then choose randomly one from your shelf)

 

March: 

#21 -Bring a book from the or then ask a reading friend to choose from his shelf a book to borrow you

#22 -A book with nature’s elements in the title (Sun, Moon, Stars, Flowers, Sand or Wind., p.e.)

#23 – A Novel based upon a real Historic persona

#24 – A book of tales/Short stories

#25 – Choose between a writer Portuguese speaking country (Portugal, Brasil our African/Portuguese countries or English speaking countries (New-Zeland, Australia, Irish, Scottish, English or American)

 

Have fun and read the must you wish and can. And have a nice winter by the fire...

20
Set19

Desafio dos pássaros#2 – O Amor e um estalo


Inês Norton

Três da manhã, ele finalmente adormeceu, cuidadosamente Ana Maria saí da cama, veste-se silenciosamente, uma arte que aperfeiçou desde que casou com aquele homem violento, passa pela sala, dirigi-se ao bar, “rouba-lhe” umas três garrafas do vinho premiado dele, um copo, pega na carteira e na mala sos, que há dois anos a esperava, com roupas,dinheiro, documentos, e alguns dos poucos bens inestimáveis, escondida por baixo do sofá velho onde já ninguém se sentava, pega na chave do carro e sem fazer barulho sai definitivamente daquela casa. A casa que ela sonhou ser um lar…

 

Quarenta e cinco minutos depois, no meio da escuridão, usa o telemóvel para iluminar o caminho até aquela praia escondida onde nunca havia estado e onde sabia que por mais tempo que ali estivesse ele não a iria procurar. Assim que achou um lugar que lhe pareceu confortável, sentou-se na areia gelada, tirou uma das garrafas que trazia na mala, o copo, abriu-a com um truque aprendido no primeiro emprego e ficou ali a saborear o vinho e a escutar o som calmante do mar que ainda não conseguia ver naquela escuridão.

 

E pensou:”como foi que cheguei aqui?”. É engraçado como a vida nos dá muitas vezes o contrário do que mais queremos, ela pedira para ter amor, e a vida respondera com um estalo. Uma e outra vez. Primeiro foram os pais, que de fora pareciam amá-la mas que só amaram o jogo e não hesitaram em a deixar só e financeiramente arruinada. Depois este homem para quem correra tão carente como um cachorro abandonado, pensando que não merecia melhor, e que era tão dado a fúrias que a usava como saco de pancada, e com ela ferida, a violava com prazer.

 

Ainda nem tinha quarenta anos e sentia-se sem vida, por isso e com uma clareza imprópria do vinho que ia bebericando, ela tomou uma decisão. Ia desaparecer, sair do país e reconstruir-se num novo lugar onde ninguém esperaria que estivesse, e aí iria viver o resto da vida, só mas feliz, porque o maior amor que precisava era o dela própria, e nunca mais iria se magoar, pois aquele olho negro era o último estalo que iria receber da vida.

 

Quando se levantou, o Sol nascia…

 

Inês d’Eca

18
Set19

Desafio de leitura de Inverno - #Um longo inverno á lareira


Inês Norton

Boa tarde,

Hoje começo por dizer que este verão o desafio lançado pelas meninas Isaura Pereira#jardimdemilhistorias e a Patrícia Rodrigues#oprazerdascoisas literalmente mudou a minha vida, pois apenas por entrar nesse desafio ganhei novas amizades, criei (por insistência de uma dessas amizades) este blogue, convencida pela mesma pessoa, entrei num desafio de escrita desafiodestapássara, fiquei a 4/2 (4 - se não acabar até dia 21 os dois livros iniciados para as categorias de último livro que te ofereceram e o livro escolhido por quem vive contigo/ 2 - se os acabar fico por aqui neste desafio) o que para primeira participação no bookbingo não creio ter me portado nada mal e sinto verdadeiramente orgulho de mim, pois mesmo sem ter terminado o cartão, li não só o número de livros do desafio - 16 - como nestes três meses li um total de 22 livros, além disso por um livro lido neste desafio descobri uma nova autora que estou a gostar muito e cujos livros tenho devorado feito louca, Kristin Hannah, e por já ter lido 6 livros dela e estar com mais 7 livros dela em espera para ler, é que reduzi a velocidade de cruzeiro dos livros do bookbingo e falhei o completar do desafio.

Portanto, com tudo isto conseguem perceber que eu gostei muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito, muito do desafio Bookbingoleiturasaosol2019, mil vezes obrigada meninas. E por isso desde do inicio queria que existisse algo assim no Inverno, mas não queria, principalmente por respeito às meninas, simplesmente "copiar" ou "roubar" a ideia do bookbingo. Posto isto e inspirada pelos longos invernos do antigamente,  desafio-me e a quem me lê para participar num desafio para o inverno 2019/2020.

As regras são simples, existem categorias nas quais podem encaixar os livros das vossas estantes ( 1 categoria= 1 Livro), o desafio inicia às 0:00 do dia 11/11 ( porquê esta data, porque quero respeitar o  desafio da Sandra Sousa#estrelasnocolo,  e também porque11/11 era a data do aniversário do meu pai e talvez por isso sempre foi uma data mágica para mim) e termina ás 23:59 do dia 20 de Março, oficialmente conhecido como último dia de Inverno. 

As categorias estarão divididas em meses e em conjuntos de 5 categorias por mês, mas como o importante é lerem e se divertirem vocês é que escolhem se começam nas primeiras, últimas ou aleatórias categorias. Eu sei que alguém já deve estar a pensar :"5 meses=5 livros/mês= 25 livros no total" e a fugir a sete pés, mas não se assustem, o objectivo é só lerem enquanto vos der prazer, e divertirem-se e leiam ao fim do desafio 1, 5, 10, 15 ou 25, não me importa nada. Só leiam e divirtam-se, sejam criativos nas vossas escolhas e partilhem-nas comigo e com quem me lê. 

Ainda não sei como faremos a partilha das leitura, mas para isso há tempo. Eu tentei escolher categorias divertidas, originais, que tivessem relacionadas com os meses em do desafio e agradassem os meninos e meninas do universo booktuber português que tenho seguido, e tentei não repetir exactamente as categorias do desafio do bookbingo. 

Lembrem-se que embora as categorias estejam numeradas de 1 a 25, e dividas em meses, não são obrigados a ler sequencialmente, a escolha é inteiramente vossa. 

Qualquer dúvida que tenham podem me pedir esclarecimentos nos comentários ou na minha página de facebook. 

Resta vos indicar as categorias: 

Novembro: 

#1 - um livro de leitura extra rápida ( entre algumas horas a 24h)

#2 - Um livro cujo o título tenha um dos 5 meses, ou que se passe num deles.

#3 - Um livro que tenha a palavra Chuva no título, preferêncialmente,ou que as letras do título formem a palavra C-H-U-V-A ( só me consigo lembrar da música dos Guns'Roses November Rain ) 

#4 - Um livro de um autor que sempre quiseste ler mas para o qual, por qualquer motivo te faltou "coragem" ( para mim é Saramago e King)

#5 - Um livro clássico que saibas que nunca leste (se fores um ser fantástico que já devoraste todos os clássicos existentes no mundo podes escolher reler o teu clássico preferido)

Dezembro:

#6 - Um livro que se passe no Natal ou na Passagem de Ano

#7 - Um livro com neve no título ou na capa

#8 - Uma versão alternativa do teu conto infantil preferido (tenho várias sugestões para quem precisar de ajuda aqui)

#9 - Um livro com a tua bebida quente preferida no título (café, chá, capuccino, chocolate quente, etc...) 

#10 - Um livro sobre Generosidade, Altruísmo, Dádiva, e Fé ( o verdadeiro significado do Natal) 

Janeiro (  ) : 

#11 - Um livro acerca de uma mudança de vida ou recomeços (Ano Novo, Vida Nova)

#12 - Um livro que "fale" de livros

#13 - Um Thriller, ou um Romance Histórico, ou um livro de Humor/Comédia ou ainda de não-ficção

#14 - Um livro sobre um protagonista animal

#15 -  Um Calhamaço (+700 páginas)

Fevereiro :

#16 - Um livro cuja a capa seja num destes tons:  Azul, Verde, Vermelho ou Laranja ou ainda que o título tenha o nome de qualquer cor

#17 - Um livro com a tua cidade natal no título ou na acção

#18 - Um livro em quadradinhos ou gráfic Novel ou Manga (booktubers portugueses do meu coração, esta foi por vocês)

#19 - Um livro que se passe no Carnaval ou em cidades icónicas desta época festiva

#20 - Um livro que tenha ganho um prémio no ano 2019 ou tenha sido muito recomendado (caso não tenhas nenhum destes na tua estante, escolhe aleatóriamente um dela)

Março: 

#21 -  Um livro de uma biblioteca ou então pede a um amigo que também goste de ler que escolha um livro da sua estante para te emprestar

#22 - Um livro cujo o título tenha um qualquer elemento da natureza (Sol, Lua, Estrelas, Flores, Areia ou Vento, por exemplo)

#23 - Um romance baseado numa personagem histórica real 

#24 - Um livro de Contos

#25 - Escolhe entre um autor lusófono (português, Brasileiro ou dos PALOP) e um autor anglo-saxónico (Neo-Zelandês, Australiano, Irlandês, Escocês, Inglês ou Americano)

Divirtam-se e leiam o mais que puderem.

-------------------------

 

 

 

 

13
Set19

Desafio dos Pássaros#1: Problemas, só problemas


Inês Norton

images01.jpg

 

 

Problemas, só problemas

Todos temos sejam as almas

Grandes ou pequenas

Uns problemas são verdadeiros dilemas

“Faço isto, faço aquilo?”

Outros quimeras, novenas

Outros são metafisicos, científicos, morais

(Cura do cancro, buracos negros, vida em Marte)

Outros são cheios de teoremas

Deixando os estudantes infelizes,

Quando as soluções lhes aludem

Há quem na economia veja mais problemas

Que soluções

Pois o dinheiro no bolso nem chega para

Os botões.

Ah e os poetas que se não inventam

problemas que lhes dilacerem a alma

Não choram a saudade e não criam magia

E o povo, coitado do povo

Esse então é quem tem a maior dose

Dos problemas, causados sem piedade

Pelo desgorveno de quem os governa

quisera dizer abençoados as crianças e os animais

mas nem a esses surgem sortes desiguais…

As primeiras são vítimas das decisões e escolhas

Dos adultos e por isso às vezes pagam demais

Em tristeza e sofrimento

Os últimos quando os seus problemas não

São de sobrevivência imediata aos predadores naturais,

São de extinção anunciada pelo pior predador: o Homem

Mas o que realmente me faz confusão

É quem gasta energia e emoção

Criando problemas onde não há razão

Porque entendem que é melhor infernizar os outros

Que ser feliz e viver em paz.

Ah, Problemas, só problemas,

Todos temos sejam as almas

Grandes ou pequenas

 

Inês d’Eça

--------

Hi, there any English readers out there:

The text you see up there, written in Portuguese is the first theme of a writing challenge to which I was invited very recently. So here are the rules: for a period of 17 weeks, I have to write and share in my blog, in prose or poetry a text of maximum 400 words, in Portuguese about a given theme, received every Monday, and to be posted by 3 o'clock every Friday next.

I'm still unsure whether I will fulfill the challenge but for now, here I am. I felt that I could not neglect you that follow me in English (whoever you may be or even if any of you are out there) so the following day I shall post the translation of my text and this is what I'm doing right now. This way not only you will enjoy my creative writing, but I also get to follow the rules I'm obliged, so bear with me if anything gets lost in translation.

Theme#1 - Problems, only problems

Problems, only problems

All of us have them

Whether our souls are big or small

Some problems are true dilemmas

"Shall I do this, shall I do that?"

Others Chimeras, novenas

Others are metaphysics, scientific, morals

(cure of cancer, black holes, life on mars)

Others are full of theorems

Leaving students unhappy when the solutions allude them

Those are that in economy see more problems than solutions

For in their pockets they don't have money for buttons.

Oh, and the poets that if they don't 

Makeup problems to rip their souls 

they can't cry loneliness and create magic

And the people, oh poor people,

Those are the ones with the biggest dose of problems,

For the bad governing of their rulers

I'd like to say, blessed be the children and the beasts

But even those get different luck, 

The first ones are the victims of choices and decisions

Of the adults around them, and for it pay 

Too much, sometimes, in sorrow and pain 

The last ones have survivance problems 

Not by their natural predators

But for complete destruction to the worst predator of all: MAN

But what really makes me confused

Are those that spend time and energy 

Creating problems where the need is none

Because to them is best to make others life 

A living hell, than to be happy and live in peace

Oh, Problems, only problems 

All of us have them

Whether our souls are big or small

 

Inês d' Eça

     September, 2019

 

 

 

 

 

07
Jul19

Disneylanders


Inês Norton

Sinopse Goodreads / Synopsis by Goodreads:

Em Disneylanders, descobrimos a Casey Allison de 14 anos, em vésperas de entrar no liceu, luta para encontrar a sua nova identidade durante as férias anuais de verão da sua familia, mas com a ajuda de um simpático e desembaraçado rapaz que conheçe nas filas de espera das atrações, ela descobre que provavelmente a Disneyland será o único local onde seus pais superprotectores lhe darão a liberdade para crescer.

----

In DISNEYLANDERS, 14-year-old Casey Allison, on the brink of starting high school, struggles to find a new identity on her family’s annual summer vacation, but with the help of an outgoing boy she meets while waiting in line, she discovers that Disneyland is the one place where her overprotective parents let her have the freedom to grow up.

---

Eu escolhi este livro como a categoria 13. um livro que se passe num local onde já passaste férias,do #bookbingoleiturasaosol2019 porque na altura eu ainda não tinha sugestões de livros passados na terra da minha mãe, ilha da Madeira, que foi onde passei todos os verões até aos meus 12 anos, e nessa impossibilidade resolvi relembrar a viagem que fiz com outras 250 crianças, mais o Julio Isidro e a Manuela Leite, devido a um concurso que existiu no programa do Julio de fim de semana, Clube Amigos Disney, á DisneyWorld, Orlando, Florida, USA.

 Desta forma resolvi ler este livro que me ajudou a recordar as férias da Páscoa de 1986,  ao local que eu chamo de verdadeira Disney ( nunca fui á de Paris, mas não posso deixar de sentir que a dos EUA é a original) e onde comi o meu primeiro MacDonalds muitos anos antes abrir o primeiro restaurante em Portugal.

Quanto á historia em si, é uma leitura leve e divertida, agradável, mas não criou um grande impacto e u não consegui criar grande empatia com as personagens nem com a descoberta dum primeiro amor (talvez para mim isto já é um tópico muito batido e por isso não me entusaismou).Ainda assim fez-me rir bastante e relembrar algumas das atrações onde andei (spacemountain - estava quase a gritar de medo quando ela parou) , smallworld, e a mansão assombrada e foi divertido embora com pouco sucesso tentar descobrir as outras atrações das quais desconheço os nomes porque na altura nem falava nem lia em inglês, e como a leitura foi em inglês, não foi possivel reconhecer os nomes das atrações,  principalmenteuma que me recordo ter feito ao lado de um rapaz que refilou porque me sentaram ao lado dele (e eu era a miuda mais nova daquele grupo) pois na óptica dele eu ia gritar e/ou chorar, só sei que a fiz 2 vezes não dei um berro e gostei muito porque parecia um comboio do faroeste que entrava numa mina onde tinhamos a sensação de que nos iam cair em cima pedregulhos enormes.

Mas como já disse fez-me rir e achei interessante a ideia de os títulos dos capítulos terem algo a ver com slogans ou frases d promoção das atrações e o leitor ter o trabalho de descobrir a que atração pertence cada título, no fim dá as soluções, mas fiquei um pouco triste por saber que uma das atrações que mais gostei - o submarino das vinte mil léguas submarinas- deve ter encerrado permanentemente.

Desde 1986 nunca mais voltei lá, embora um dia o queira fazer, pois se este livro conseguiu fazer alguma coisa foi acordar um desejo que eu nem sabia ainda ter. Quem sabe se um dia não irei com olhos de adulta que ao passar dos portões volte a ver o mundo como criança, aliás já Walt Disney dizia algo nesse sentido, na Disney todos voltamos a ser crianças. Quem gosta da Disney talvez goste do livro ainda que a história não seja nada original.

-------

I chosed this book as category 13. A book that happens in a place where you've vacationed before, do #bookbingoleiturasaosol2019 , because at that time I didn't have any book os suggestions of books in Madeira Island, my mother's homeland, where I spend all my summers till the age of 12,  so instead I decided to remember a trip I took with around other 250 kids, and co-hosters Julio Isidro and Manuela Leite of a weekend show named Club Amigos (Friends) Disney, where they had a contest that allowed me to win this trip to DisneyWorld, Orlando, Florida, USA.

So having this decision, this book helped me to remember the spring break vacations in 1986, to the place I call the REAL Disney ( I've never been to Disneyland Paris, but to me Orlando is and always will be the original one) and remembering that the first night I arrived I ate my very first Macdonald burger, years and years before it opened here in Portugal.

About the story per se, it's a light and funny read, pleasant but average, I was unsuccessfully to create empathy nither with the characters or their coming of age, a first love story (maybe too many stories like this did not help to enjoy this story more). Having said this the book made me laugh and I remembered many of the attractions where I went (space mountain - I was about to scream really bad when it came to a full stop), small world, and the Haunted Mansion,  it was fun to try to discover others that I don't know the name because at time I had a language barrier for I neither spoke, read or talked in English. still I remember one I had two rides and loved it, I remember they sat me by the side of a boy that wasn't pleased with that afraid I would scream or cry (I did neither) being the youngest girl in the group  it looked like a far-west train that entered a mine and it had a spot where it seemed that huge rocks were to fall on us. To me, that rollercoaster is the best one I rode all my life.

But it made me laugh and I thought interesting the idea (oodles for the writer for this) the chapter title was based upon slogans for each attraction and for the reader to, while reading try to discover witch attraction was the one in that chapter, in the end, you get the solutions, but I was heartbroken to find out that one of my favorite rides, 20 000 miles under the sea was permanently closed.

I never returned to Disneyland since 1986, and this book did awake that wish of returning to Orlando, Florida, USA, and I had forgotten that will. Maybe when I return, no matter how old, I return and find the magic is possible and as I believe Walt Disney once said, something like this, in Disneyworld we all are children once again. who loves Disney might like the book, I don't know is if you will love the story. 

06
Jul19

Erro na Ordem da trilogia Shadowfell, Mistake on Shadowfell trilogy


Inês Norton

Venho aqui retratar-me porque me apercebi dum erro em dois livros escolhidos para o bookbbingo, não na colocação deles nas categorias, mas sim na ordem em que deveriam ser lidos, assim o género de livro preferido continua a ser A voz, e o livro com capa azul continua a ser O voo do Corvo, só que na explicação do bookbingo, indiquei o Voo do corvo como o 3º livro da trilogia, quando na verdade é o segundo, e a Voz como sendo o 2º quando de facto é o 3º e  último livro. Este erro deu-se porque embora estes livros sejam uma releitura já se passaram muitos anos desde da sua publicação e eu já tinha me apercebido que não me lembrava de coisas importantes destes livros, de modo que os queria reler sem o tempo de espera entre a publicação de cada um, a prova que já foi há muito tempo é o facto de eu ter cometido este erro, para mim gravissímo. E porquê é que eu digo isto, porque desde de que li nos meus 16/17/18 anos as Brumas de Avalon de Marion Zimmer em que comecei no segundo livro ( ainda que depois eu tenha lido todos os livros na ordem correcta) e senti que perdi qualquer coisa por isso e desde dessa altura, se há coisa que eu evito sempre fazer é ler as sagas/trilogias/séries pela ordem errada, é algo que realmente detesto, e cometer este erro logo com os livros da minha escritora favorita, é imperdoável (mas eu tenho que me perdoar). Porque acho importante partilhar isto? Porque pode alguém não conhecer esta escritora e acabar por uma indicação errada minha, a comenter o mesmo erro, do qual só me apercebi quando ao actualizar a leitura (já tinha lido mais de 100 páginas do Livro A Voz) vi a minha critica aquando da primeira vez que o li, a 8 de Julho de 2014, ou seja há 5 anos atrás -  mal acreditei no que tinha feito, mas enfim já tinha lido tantas páginas e ainda não tinha sentido falta de nada na historia continuei. Agora resta-me quando fizer a critica destes três livros, fazê-lo pela ordem correcta e não pela ordem em que foram lidos desta vez. Assim como assim completando estas duas leituras (o 3º volume que estou a meio, e o 2º que ainda nem comecei a ler,) já terei  feito a 1ª coluna do bookbingo, yeah!

----

Today I came here to alert for a mistake I made while explaining the book bingo, I misordered 2 books, not in what comes to the category but to the order of their reading, which means that the book for the favourite genre The Voice, is the 3rd and last book of the trilogy, and the book with a blue cover still is Raven Flight but it is the 2nd volume. My very bad, this occurred because I've read this books when they were the first time they were published, with years in between, and already was missing the story, the characters, and this mistake proves how detached I was from this books, and happening in my favorite is serious to me. And why is importante  I share this with you, because in my late teens I read Marion Zimmer Bradley, and Mists of Avalon were my first saga/series/ trilogy ever and started by book 2 ( even if later on I read them all in the right order) I really hated it because I always felt I lost something by reading it wrong.  And having this repeat with my favourite writer I have to forgive me but it's unforgiveble. So if anyone reading my blog does not know Juliet Marillier or her books whon't make this same mistake  mislead by me. I only realised this mistake updating the number of pages I had read (over 100) I stumbled upon my review writen about 5 years ago, so I keept going reading in the wrong order when these two, volume 3 and 2 are read and their rewviews will be done correctly. And by the time that happens, I'll have my first column of the book bingo done, yeah! 

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo